segunda-feira, 8 de maio de 2017

São Bartolomeu - Coimbra

Há muito que ando para escrever sobre a União de Freguesias de Coimbra (Sé Nova, Santa Cruz, Almedina e São Bartolomeu) mas para que não me interpretem mal, e muito menos para meter em contratempo que antigamente defendia as suas freguesias e agora assobia para o lado, tenho estado sossegado, mas como até os limites têm limites aqui vai o que penso e defendo.
Antes de se olhar para a União das 4 freguesias como uma única freguesia é preciso observar cada uma das quatro porque têm características muito diferentes uma das outras, e quem assim o não fizer vai estar pura e simplesmente a abandonar o que de bom se fez, o que se pode fazer para melhorar a qualidade de vida das pessoas. Muito sinceramente estes últimos quatro anos foram quase de completo abandono, de ignorar o que de bom se fazia, pior que abandonar é simplesmente não fazer nada de nada. Este sentimento é partilhado por uma grande maioria de fregueses das quatro freguesias.
Voltando ao que me levou a escrever, defendo que cada uma das antigas freguesias deve ter um projeto autónomo adequado á sua realidade e existir um projeto mais alargado que seja comum às quatro freguesias.  
No caso concreto de São Bartolomeu que pode e deve ser alargado á parte da baixa que pertence a Santa Cruz e a uma parte de Almedina é urgente um "projecto" que de vida ao Centro Histórico de Coimbra, aproveitando a capacidade das pessoas, das coletividades associações onde cada pessoa tem o seu papel, a sua importância, a sua identidade e a sua responsabilidade.
Acelerar a recuperação do Centro Histórico como espaço habitacional de excelência de estudantes e jovens, animação cultural primando pela qualidade e diversidade do espaço de lazer devidamente enquadrado com os habitantes, através;
- Revitalização do espaço central de comércio e serviços da cidade
- Reorganização do estacionamento
- Concursos inter- ruas com prémio monetário e isenção de Licenças Camarárias, para os estabelecimentos comerciais que no decorrer do ano apresentem o maior empenho e criatividade a nível de montras.
- Pintar fachadas dos prédios incluindo os degradados e revestir as montras das lojas abandonadas ou encerradas.
- Acabar com as barreiras arquitetónicas que impedem deficientes motores e visuais no seu dia-a-dia
- Voltar a realizar a Feira de Artesanato e Sabores Tradicionais na Praça Velha/Comércio
- Rebaptizar a Praça Velha/Comércio para Praça São Bartolomeu
 - Promoção de encontros entre a população mais jovem e idosa

- Promover a venda de artesanato na Praça Velha/comércio em tendas apropriadas em vez da venda ambulante que se pratica atualmente.
Enviar um comentário