sexta-feira, 22 de junho de 2012

Mais uma etapa da fisioterapia





Para quem tem duvidas devia sofrer na língua as dores que passo no dedo nos tratamentos de reabilitação.

Enfermeiros em luta!


Já se vê o palco da Madonna sem vestígios de ADN



A "brilhante" aprovação do Regulamento dos horários de funcionamento dos bares/discotecas que mais não passou de um lavar da cara sem água.

Conforme escrevi ontem, pode ler em  http://independentepelafreguesia.blogspot.pt, eu defendo uma solução equilibrada nos horários de funcionamento e dos bares em Coimbra. Sou contra radicalismos, mas tem de imperar o bom senso.
Foi a pensar no bom senso e numa solução equilibrada e justa que a bancada do PS, segundo li hoje no Diário de Coimbra e que subscrevo na integra, pois é o mesmo que eu defendo e continuarei a defender e que todos ficavam a ganhar e que o Executivo da Câmara Municipal não quis contemplar.
A proposta do Partido Socialista consistia na identificação de zonas específicas onde existe mais ruído nocturno e ai implementar horários diferenciados conforme os dias da semana para minimizar os conflitos entre os frequentadores dos bares/discotecas e os moradores dessas zonas.
Mas o Executivo da Câmara Municipal de Coimbra optou pela via mais fácil, deixar tudo como está, aplicando só o novo regulamento a futuros bares e discotecas. Este tipo de descriminação vai levar a que muito dificilmente abram novos bares na cidade o que leva à não criação de novos postos de trabalho.
Das duas uma ou alteram o Regulamento aproveitando a proposta que o Partido Socialista apresentou e muito bem ou tem de existir mais fiscalização e actuação das forças de segurança com aplicação de coimas a quem não tem um comportamento adequado na via publica

quinta-feira, 21 de junho de 2012

O polémico regulamento do horário de funcionamento dos bares e discotecas de Coimbra

Foto retirada de : PROZAC virtual.

Como sabem eu sou a favor de disciplina e regulamentação para os bares e discotecas na cidade de Coimbra. Sou contra radicalismos neste caso específico, não podemos passar da selvajaria de horários até ao amanhecer para o “encerramento” nas horas de maior diversão e facturação dos bares e discotecas, tem de imperar o bom senso.
O novo regulamento se vier a ser aprovado e a indicação que tenho é que vai ser ou já foi a esta hora tem de ter um regime de excepção. Essa excepção tem de estar contemplada no regulamento com critérios bem explícitos e têm de ser cumpridos escrupulosamente pelos donos dos estabelecimentos e fiscalizados com imparcialidade por quem tem o dever de o fazer, se essas normas no regime de excepção não forem cumpridas o horário de funcionamento será reduzido de imediato.
Esse regime de excepção nunca pode contemplar bares e discotecas que estejam em zonas residenciais.
Eu sei muito bem que não é o “ambiente” do interior dos bares e discotecas que incomoda quem quer e precisa de descansar durante a noite, o problema reside no seu exterior, mas uma coisa não se pode desassociar da outra, só existe excessos às tantas da madrugada porque os bares/discotecas estão a funcionar a essa hora e muitos deles já fora do horário de funcionamento.
Mas o principal problema reside na falta de civismo e de respeito pelos outros (barulho, desacatos, excesso de álcool, vandalismo quando abalam às tantas da madrugada, para não dizer já em pleno dia desses estabelecimentos.
Das duas uma ou se aprovam horários de funcionamento adequados à área onde estão inseridos ou é necessário começar a aplicar coimas a quem não tem um comportamento adequado em sociedade.

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Noite São João no Largo do Romal em Coimbra


Famílias portuguesas desprezaram alguns valores

Segundo alerta Luísa Trigo, docente da Faculdade de Educação e Psicologia da Católica, muitos dos valores impulsionados pelas famílias portuguesas há umas décadas foram-se perdendo com o tempo e é urgente “recuperar os valores centrados na promoção do respeito mútuo e da dignidade humana» e também combater o facilitismo, relativismo e individualismo.”
Finalmente que alguém alerta para este calamidade! Há muito tempo esta falta de valores assente no facilitismo. Penso que seria importante uma abordagem pormenorizada da sociedade em geral sobre este problema. É inadiável!
Infelizmente os valores sociais, familiares, pessoais, foram substituídos por telemóveis, computadores, roupa de marca, carros topo de gama etc.
Hoje em dia a sociedade abdicou da palavra “ser” para preferir a palavra “ter”.

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Coimbra vista da zona do Cidral







Penedo da Saudade















Por causa das más línguas( alguns colegas de serviço) não se meterem a inventar, estas fotografias só  foram tiradas hoje porque a consulta de reabilitação física ( ao dedo) passou para amanhã às 17h30. 
Aproveitei estar perto do Penedo da Saudade e fui até lá com a minha família.